Perspectivas do mercado imobiliário em 2018 conforme Revista Exame

Em Outubro de 2017 a Revista Exame publicou uma matéria falando sobre as perspectivas do mercado imobiliário em 2018. Nós resumimos abaixo as principais tendências apontadas por especialistas que foram entrevistados pela revista.


O mercado imobiliário é um dos principais setores da economia e gera muitos empregos no país. Por isso, a perspectiva para 2018 é de que ele volte a receber novos investimentos.




Em ano de eleição a tendência é que a população tenha mais cautela ao comprar. Avaliando melhor antes de se comprometer com grandes investimentos. Veja o resumo da matéria: 

PREVISÃO DE QUEDA NA TAXA SELIC 

A previsão é de que a taxa Selic baixe para 8% no próximo ano. Essa previsão teve impacto imediato no setor financeiro. Gilberto Abreu, diretor executivo de negócios imobiliários e investimento do Santander, por exemplo, demonstrou confiança na retomada de crescimento do mercado imobiliário do país e afirmou que o pior momento da crise no setor já passou.

RECUPERAÇÃO NO SETOR NO SEGUNDO SEMESTRE DO ANO

A recuperação do setor começou no segundo semestre deste ano, apesar de singela. Muito disso se deve ao programa Minha Casa Minha Vida, que registrou atualização de regras feita pelo Governo Federal. Agora, o limite da renda dos consumidores que podem adquirir uma propriedade pelo programa passou de R$ 6,5 mil para R$ 9 mil.

DADOS DE FINANCIAMENTOS 

Em março de 2017, o volume de empréstimos com recursos da poupança para aquisição e construção de imóveis somou R$ 4,01 bilhões, crescimento de 36% no mês, mas 9,2% abaixo em relação ao mesmo mês de 2016, enquanto, no primeiro trimestre de 2017, os financiamentos imobiliários somaram R$ 10,06 bilhões, queda de 7,8% ao registrado no mesmo período do ano passado.

Apesar da crise e estagnação financeira, o mercado está confiante em relação à queda nas taxas de juros e à inflação do país. Para 2018, caso aconteça, as taxas de juros sendo reduzidas favorecerão o poder de compra do consumidor, estimulando a aquisição de imóveis enquanto o momento está favorável.

Comentários