Investir em imóveis: segurança no futuro

A iniciativa pode garantir renda extra até a terceira idade

Foto: Fotolia

A preocupação com estabilidade financeira na terceira idade vem tirando o sono de alguns brasileiros. Segundo especialistas, investir em imóveis ao longo da vida é uma alternativa segura para quem quer planejar o futuro e garantir a tranquilidade quando parar de trabalhar.

Para o economista Antônio Marcus Machado, adquirir imóveis é o investimento mais confiável a longo prazo. “Já está comprovado que este é o ativo que consegue manter seu valor mesmo em tempos de crise financeira. Por isso, é uma boa oportunidade para quem quer garantir renda para o futuro”, afirma.

Quem aposta em casas, apartamentos, salas e lojas tem ganho em dois sentidos: na valorização da propriedade e também com o aluguel mensal. “O valor do aluguel em relação ao bem, na maioria das vezes, é baixo. Mas esta continua sendo melhor alternativa do que vender a propriedade, principalmente para quem não tem experiência em administração. Assim, o investidor terá uma renda mensal para complementar a aposentadoria, por exemplo”, avalia o economista.

A dica do diretor da Vitória Imóveis, Moacyr Brotas Neto, é construir uma carteira de imóveis. “Aproveitar a juventude e os anos de trabalho para comprar imóveis é uma garantia muito forte para a terceira idade. Assim que conseguir quitar o primeiro bem, a pessoa pode alugá-lo e com esta renda pagar uma nova unidade. Muitas pessoas começam assim e constroem um patrimônio significativo”.

Comprar uma unidade em região ainda em desenvolvimento garante mais valorização, segundo o presidente da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-ES), Sandro Carlesso. “Estamos falando de renda a longo prazo. Então, comprando em um bairro em crescimento o interessado vai pagar menos e o potencial de valorização é maior. Diferente de uma região já com preços altos, pois não há margem para crescimento. Também é interessante diversificar o investimento, começando com o dois quartos e apostando em salas e lojas, que possuem aluguel mais duradouro”, orienta.

Fonte: Gazeta Online



Comentários